Mar de palavras

pattismith_angelocricchi.jpgPoesia é poesia e letra de música, por melhor que seja, está em outro plano.  Não que letras de música não tenham lá a sua poética, mas são relações diferentes entre a palavra no papel e a palavra envelopada em sons. Sem desconsiderar uma tradição que vem dos clássicos,  musicar poemas não é uma tarefa fácil. Encontrar o equilíbrio entre texto e som, sem que um anule o significado do outro ou se sobreponha criando deformações indesejáveis, é o que define o sucesso de quem ousa enfrentar esse casamento. E é esse equilibrio que marca The Coral Sea, disco duplo que reúne uma série de performances realizadas entre 2005 e 2006 por Patti Smith e Kevin Shields, do My Bloddy Valentine.

Originalmente, The Coral Sea é um poema em prosa publicado por Patti Smith em 1996, uma elegia ao fotógrafo Robert Mappelthorpe, morto em 1989, vítima da Aids. Embora o “passageiro M” seja o protaginista do poema, Smith não opta pelo caminho fácil da biografia. Se concentra numa odisséia interior, onde tenta dar forma às visões e às buscas de Mapplethorpe. Nesse caminho, resvala toda hora no sagrado. Se bem que às vezes esse encontro está mais próximo do confronto que do conforto.

Essa odisséia particular consegue ser amplificada pelos drones e pelas notas sustentadas até o limite por Kevin Shields e pelo uso de texturas cheias de tremolo.  Não é, em absoluto, um disco para ser ouvido casualmente. É preciso reservar não só tempo como um espaço adequado para conseguir mergulhar no texto e nos sons, um pouco como ir à igreja ou ao cinema. Mas a recompensa é garantida.

Quer uma pequena amostra? Ouça abaixo.

Download Parte 3, gravada em 22 de junho de 2005