Gainsbourg em petit comité

 160420082801.jpg

160420082781.jpg

Ontem fui com um casal de amigos ver o Edgard Scandurra e convidados numa noite especial dedicada ao Serge Gainsbourg, que faria 80 anos neste abril. Eles tocaram no bistrô Le Petit Trou, revezando vocalistas: Arnaldo Antunes, Alex Antunes, Andrea Merkel, Bárbara Eugênia, Chris Hidalgo e Rodrigo Carneiro. Para acompanhá-los, só o Edgard na guitarra e o Henrique Alves no violão. Como o lugar era bem apertadinho, enquanto um vocalista pegava o microfone e ia para a frente do bar, os outros ficavam atrás, bebendo um pouquinho e conversando. Adoro ouvir Gainsbourg, e o dueto do Edgard com sua mulher Andrea em “Je T’aime, Moi non Plus” foi excelente, assim como a versão de “Black Trombone”, uma das minhas prefeirdas, cantada pelo Rodrigo. Mas o mais bacana foram os dois Antunes, o Arnaldo e o Alex, arriscando versões em português – claro, elas ficaram ótimas, principalmente a de “Elisa”, que acabou parecendo uma canção do Arnaldo.

Nas próximas duas terças, eles repetem o show. Como é uma coisa bem petit comité, para umas 20 pessoas, vale a pena marcar uma mesinha com antecedência, jantar lá pelas 21h e ver o show às 22h30.

Saindo do Le Petit Trou – sim, o restaurante do Edgard com o chef Luiz Emanuel do Allez Allez é batizado com uma música do Gainsbourg – lembrei de outros dois discos que seguem numa viagem parecida, que ganhei de presente da amiga Eva Uviedo no ano passado. São Pink Elephants e Intoxicated Man, do bad seed MickHarvey, os dois álbuns só com versões do Gainsbourg para o inglês. Entre elas, “Le Petit Trou”, que ganhou o nome de “The Ticket Puncher” e você pode ouvir aí embaixo.
Download Ouça “The Ticket Puncher”, com Mick Harvey