Meia hora de shuffle – Jóhann Jóhannsson

Englaborn
1. El Cristal – Juana Molina – Tres Cosas

2. Time of No Reply – Nick Drake – Made Love to Magic

3. The Dust Blows Forward N’ the Dust Blows Back – Captain Beefheart – Trout Mask Replica

4. The Lyre of Orpheus – Nick Cave – The Lyre of Orpheus

5. Bao– Jóhann Jóhannsson – Englabörn

6. Satrdust – MRK1 – Copyright Laws

7. Labalakely Dress – Animal Collective – Hollinndagain

8. A B-Boys Alpha – Cannibal Ox – The Cold Vein

Escolhi falar de Bao, de Jóhann Jóhannsson, porque Englabörn foi um dos discos que eu mais ouvi no fim do ano. É daqueles álbuns para ouvir sozinho, concentrado, de preferência à noite. Também por que ele é, com certeza, o mais obscuro dessa lista-oráculo de hoje. Cheguei até esse produtor e multi-instrumentista islandês por causa da cellista Hildur Gudnadóttir. Além do seu trabalho solo, Jóhannsson faz parte do coletivo de improvisação eletrônica Kitchen Motors, que reúne membros do Sigur Rós, do Múm e do Slowblow. Englabörn é seu primeiro disco solo, de 2002. No álbum, assim como nesta faixa Bao, ele parte de um quarteto de cordas, glockenspiel, teclados e eletrônica, para criar pequenas paisagens sonoras. O piano impressionista de Bao dá um pouco o tom melancólico desse disco, que tem como maior trunfo o uso da simplicidade para criar uma música de alta octanagem emocional.

Download Bao – Jóahann Jóahannsson